Documento-base contém 36 proposições que podem ser implantadas por prefeituras para fortalecer a agricultura familiar e a produção sustentável de alimentos

Rio de Janeiro, 6 de outubro de 2020 – Uma rede de entidades, coordenadas pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), lançou a campanha ‘Agroecologia nas Eleições’. Um esforço coletivo em todo o país para mapear políticas e programas municipais que apoiam a agroecologia e a agricultura familiar, promovem a segurança alimentar e nutricional e geram renda nos territórios. 

“O objetivo da campanha ‘Agroecologia nas Eleições’ é promover o debate público durante o processo eleitoral e subsidiar a ação dos poderes executivo e legislativo dos municípios, além de evidenciar a importância da participação da sociedade civil na elaboração e execução de políticas públicas efetivas”, explica Denis Monteiro, agrônomo e secretário executivo da ANA.

Entre os resultados da campanha está um documento com 36 propostas, organizadas em 13 campos temáticos, para a criação de políticas públicas de apoio à agricultura familiar e à agroecologia, a  ser entregue a candidaturas de cidades pelo Brasil. No formato de carta-compromisso, o documento é denominado ‘Agroecologia nas Eleições: Propostas de Políticas de Apoio à Agricultura Familiar e à Agroecologia e de Promoção da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional em Nosso Município’.

Elaborado a partir de um levantamento que identificou cerca de 700  exemplos de iniciativas de apoio ao setor, o documento-base foi preparado para ser adaptado à realidade de cada município, de modo a comprometer as candidaturas.

“A produção sustentável de alimentos acontece nos municípios, onde estão também os consumidores. Em muitos casos, a própria prefeitura é um dos compradores desses alimentos, a exemplo das compras feitas para o Programa Nacional de Alimentação Escolar, o PNAE”, explica Flavia Londres, engenheira agrônoma e membro da Secretaria Executiva da ANA.

“Por  isso, este é o momento certo para conquistarmos o compromisso de candidatos e candidatas com a ampliação das políticas públicas municipais de fomento à agroecologia e à agricultura familiar”, completa.

As iniciativas identificadas evidenciam uma grande diversidade de possibilidades para a intervenção pública a partir do poder executivo municipal. Mostram também que muito pode ser feito pelas câmaras de vereadores/as. Boas ideias já colocadas em prática em todo o país não faltam.

O conteúdo pode ser baixado em formato editável para compromisso personalizado das candidaturas no seu município, abordando propostas nos seguintes eixos temáticos:

  • Comercialização, circuitos curtos e compras institucionais
  • Inclusão produtiva com segurança sanitária
  • Infraestruturas nas áreas rurais
  • Reforma agrária e direitos territoriais de povos indígenas e comunidades tradicionais
  • Sementes, biodiversidade, águas e meio ambiente
  • Cultura e comunicação
  • Resíduos sólidos e compostagem
  • Agricultura urbana
  • Práticas integrativas e complementares no SUS
  • Assistência técnica e extensão rural
  • Apoio à produção e organização e enfrentamento à violência contra as mulheres
  • Educação e juventudes
  • Controle e restrição de atividades que geram impactos negativos

Clique aqui para acessar a íntegra do documento ‘Agroecologia nas Eleições: Propostas de Políticas de Apoio à Agricultura Familiar e à Agroecologia e de Promoção da Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional em Nosso Município’. 

*Informações para imprensa*

Assessoria Articulação Nacional de Agroecologia

Thadeu Melo (11) 98646-4747 [email protected]

 Viviane Brochardt (61) 98178-1911 [email protected]

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.