st conhecimentoA Subcomissão Temática de Conhecimento se reuniu no dia 08 de agosto em Brasília. Reivindicou a participação  da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e a CNPq (Comissão Nacional de Pesquisa Científico e Tecnológico) como membros para discutir suas estruturas de pesquisa e participar na construção do II Planapo. Também solicitou à mesa coordenadora da CNAPO uma audiência com o ministro Patrus Ananias, do Ministério do Desenvolvimento Agrário, para discutir a Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) e apresentar algumas intencionalidades da CNAPO.

 

Analisou aindao documento do Plano Plurianual (PPA) ponto a ponto comparando com o documento da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA), e incluiu alguns itens: apoio às redes de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), criação de assentamentos agroecológicos, ampliação de 90 para 300 os núcleos de agroecologia, incluindo as universidades e Organizações Estaduais de Pesquisa Agropecuária (OEPAS), etc.

A reunião contou com a participação de representantes de diversos ministérios, bem como o novo presidente da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater), Paulo Guilherme Cabral. A Embrapa Informou que está sendo construído um Seminário Nacional da Empresa, previsto para os dias 27 e 28 de agosto, a fim de buscar elementos para o novo marco referencial da agroecologia na organização. Ainda não tem recursos disponíveis, mas a expectativa é a realização de um evento com ampla participação.

Marenilson Batista, do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater), deu alguns esclarecimentos sobre o órgão e explicou que estão pensando em articular melhor a inovação e formação dentro do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Algumas atividades previstas serão utilizadas para potencializar o debate: haverá um seminário sobre Ater Agroecologia e Crédito, no dia 17 e 18 de agosto um Seminário Nacional de ATER para identificar os grandes desafios e outro seminário sobre as boas práticas da ATER para servir de exemplo.

“Não vamos conseguir produzir alimentos saudáveis sem coibir o agronegócio,e sem o lançamento do PRONARA (Programa Nacional de Redução do Uso de Agrotóxicos) e uma de nossas prioridades”, disse Irene Cardoso, presidente da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA).

Em relação à Anater: faltam duas indicações do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e uma do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) na composição da diretoria da Agência. Do MAPA, um dos representantes é o Diretor de Transferência de Tecnologia, atualmente o Waldyr Stumpf, faltamos dois do MDA e um do MAPA. ANATER não tem orçamento próprio e será formalizada nos próprios meses após a redação do estatuto. Os movimentos criticaram a falta de participação da sociedade civil nessa construção.

Patrícia Mourão falou sobre o Programa de Democratização do Conhecimento Agroecológico construído por chamadas públicas.

Foram apresentadas algumas contribuições e observações sobre o seminário da CNAPO em setembro para o fechamento do II PLanapo. 

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.