feminismo agroecologiaNa reunião da ST Mulheres, realizada no dia 18 de novembro, foi realizado o balanço das iniciativas do Planapo para as mulheres, sob a responsabilidade do MDA, e tirados alguns encaminhamentos para o próximo Plano.

 

A EMBRAPA apresentou as ações do programa pró-equidade de gênero, raça e diversidade (programa interno da empresa) e informou sobre o plano de trabalho para contribuir na execução das ações previstas no PLANAPO. O MDS também relatou sobre a capacitação das mulheres referente ao programa cisternas. Constatou-se a dificuldade no monitoramento dos resultados por conta de questões técnicas do sistema de informatização, pois este, não apresenta os dados por sexo. Debateu, ainda, sobre a caracterização dos agroecosistemas, um dos instrumentos a serem utilizados nas ações das chamadas de ATER Agroecologia, a cargo do Ministério do Desenvolvimento Agrário. Avaliaram que é de suma importância que o instrumento possibilite dar visibilidade às mulheres como sujeitos políticos. Verificaram ainda que as organizações de mulheres sofrem com a sobreposição de horários nas reuniões das Subcomissões temáticas, dificultando a participação, e foi proposta a participação paritária no seminário nacional da CNAPO previsto para maio de 2015 e que o próximo PLANAPO é preciso elaborar indicadores que diferenciem por gênero as iniciativas não específicas para as mulheres.

Na reunião foi dada, em primeira mão, a informação sobre as vencedoras do Prêmio Margarida Alves e que várias mulheres que atuam junto às organizações que compõem a ANA, tanto técnicas como agricultoras, foram vencedoras! O Prêmio tem âmbito nacional e selecionou os melhores trabalhos sobre o tema “Mulheres e Agroecologia”, em três categorias: Ensaio Inédito, Relatos de experiências e Memórias.

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.