Propostas de Políticas Estratégicas de Estado para a Agricultura Camponesa

Texto de Sergio Gorgen, do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA)

Durante décadas o campesinato brasileiro só chamou a atenção das autoridades do Estado quando foi causa e vítima de grandes conflitos. E foi duramente reprimido, bastando lembrar Canudos, Contestado, Cabanagem, Trombas e Formoso e Ligas Camponesas.

Graças a formas de luta e ações políticas de novo tipo surgidas no período final da ditadura militar, o Estado viu-se tensionado e obrigado a criar políticas públicas voltadas à realidade do campesinato. De modo especial, a ação do MST, combinando a pressão dos conflitos de baixa e média intensidade, e constantes, com a negociação política com setores do Estado. Este tipo de ação acabou movendo outros sujeitos políticos do campo para formas semelhantes de mobilização social, provocando, como resposta do Estado, um conjunto de políticas públicas (insuficientes e incompletas) voltadas à realidade camponesa.

Baixar publicação

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.