Por Helena Zelic

Mostrando a força da união das lutas por agroecologia e por democracia, uma delegação do IV Encontro Nacional de Agroecologia (ENA) marcou presença no ato dos/as petroleiros/as, em Betim, na REGAP. O ato faz parte da agenda de mobilização dos/as petroleiros/as, que lutam contra a privatização da Petrobras e a entrega do petróleo para as grandes empresas estrangeiras e neoliberais.

Os/as petroleiros/as deflagraram greve de 72h nesta semana, mas foram judicialmente criminalizados, com multas diárias exorbitantes de 2 milhões de reais, definidas para impedir a mobilização. As falas pautaram o fim do neoliberalismo, a liberdade para Lula e a soberania brasileira sobre o petróleo. Ficou claro que para os manifestantes, o dinheiro adquirido por meio da exploração do petróleo tem que ser para desenvolver o Estado. Caso contrário, acaba o petróleo e, consequentemente, aumenta a pobreza.

Paulo Mansan, representando o IV ENA, fez uma saudação, convocando todas as pessoas a participar também do Encontro. “Estamos com uma delegação representando os estados que vieram ao ENA, em defesa dos petroleiros e 100% em defesa da Petrobras. A Petrobras é nossa!”, disse.

Estavam presentes movimentos sindicalistas, feministas e de juventude, de regiões de Minas Gerais e do Brasil. O ato reuniu cerca de 300 pessoas em frente à refinaria Gabriel Passos. Depois, a categoria realizou uma assembleia.

Edição: Viviane Brochardt

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.