O que revelam as iniciativas de abastecimento alimentar iniciadas ou aprofundadas durante a pandemia da Covid-19 para garantir, nos diversos cantos do Brasil, o acesso a alimentos a quem precisa? De que forma a crise sanitária potencializou e evidenciou a atuação dos coletivos de abastecimento popular que se adaptaram para manter a promoção da soberania e da segurança alimentar e nutricional via reconfiguração da realidade alimentar nos territórios? 

Estas questões estão entre os muitos pontos de reflexão que nortearam o mapeamento de experiências de abastecimento alimentar da “Ação Coletiva Comida de Verdade: aprendizagem em tempos de pandemia”, realizado na plataforma Agroecologia em Rede (AeR) entre julho e outubro de 2020, quando o país começava a enfrentar a Covid-19.

As informações levantadas permitiram às/aos pesquisadoras/es das 13 organizações que formam a Ação Coletiva Comida de Verdade uma análise sobre os processos de transição, adaptação, fortalecimento, resiliência e resistência de 267 iniciativas – dentre as 310 que integram o mapeamento – protagonizadas pela sociedade civil para conectar com maestria quem produz com quem recebe o alimento.

A metodologia, os resultados alcançados e as recomendações, fruto desse amplo processo, estão consolidadas no documento “Contribuições para o debate sobre abastecimento alimentar no Brasil: possibilidades futuras e demandas de políticas públicas”, já disponível para leitura no site da Ação Coletiva. Ele será lançado em um seminário que acontecerá  no dia 19 de abril às 17h, com transmissão pela página da Abrasco no Youtube.

Quer saber mais? Então salve a data do lançamento e acompanhe o site e as redes sociais da Ação Coletiva para mais informações.

Serviço:

Seminário de lançamento: Contribuições para o debate sobre abastecimento alimentar no Brasil: possibilidades futuras e demandas de políticas públicas

Data: 19 de abril, terça-feira

Horário: das 17h às 19h

Transmissão: Página da Abrasco no Youtube.

Fonte: Ascom/Ação Coletiva Comida de Verdade

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.