cta com dilmaPor Rodrigo Carvalho, CTA-ZM

Entre os dias 21 e 23 de maio, o Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata (CTA-ZM), através do Projeto Mulheres e Agroecologia em Rede, esteve presente no evento Arena da Participação Social, em Brasília, para discussões sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, a construção da Agenda Pós-2015 e o II Seminário Internacional do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil.

 

Para Elisabeth Maria Cardoso, coordenadora do Projeto Mulheres e Agroecologia em Rede, o evento foi uma grande oportunidade de dar visibilidade ao projeto e ao mesmo tempo, conhecer as outras práticas finalistas.

Durante o evento, o projeto Mulheres e Agroecologia em Rede, que já havia sido agraciado com o prêmio ODM Minas – 1ª Edição em março desse ano, recebeu o troféu da 5ª Edição do Prêmio ODM Brasil: Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da Secretaria Geral da Presidência da República e do PNUD.

O Prêmio ODM Brasil, iniciativa pioneira no mundo, incentiva ações, programas e projetos que contribuem efetivamente para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) foram definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), no ano de 2000, com a intenção de tornar o mundo melhor e mais justo até 2015.

A agricultora familiar e beneficiária do projeto, Renata Vilete, recebeu das mãos da presidenta Dilma Roussef o troféu ODM Brasil, em nome do Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata.

rodrigo ctaRenata afirma que a iniciativa do projeto tem sido muito importante em sua vida e na de muitas outras mulheres “pela conquista de autonomia, pela ocupação dos espaços políticos e pelo desenvolvimento da agroecologia nos territórios, que tem permitido a geração de renda e a nossa permanência no meio rural”.

Em seu discurso, a presidenta Dilma Rousseff enfatizou que, “celebrar a participação da sociedade é celebrar a democracia, é celebrar as transformações profundas. Além disso, é celebrar a única condição de mudar este país.”. A presidenta também destacou a importância do papel das Organizações Não Governamentais na parceria pela participação social. Ela fez um balanço dos ODMs e enfatizou o combate à fome e o programa Brasil Sem Miséria. “Eu tenho muito orgulho dos ODMs, nós cumprimos muito mais do que a meta, não por conta de um padrão, que é importante, mas porque fomos além, contamos com a participação do povo”.

O Projeto Mulheres e Agroecologia em Rede é uma parceria do CTA/ZM com o Grupo de Trabalhos de Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia, com o Movimento de Mulheres da Zona da Mata e Leste de Minas, com a Rede de Mulheres Empreendedoras Rurais da Amazônia, com a Rede de Mulheres Produtoras do Nordeste, com o Movimento de Mulheres Camponesas, com o Grupo de Trabalho em Gênero e Agroecologia e com a ONG Capina. É financiado pela União Européia com apoio da Action Aid Brasil, Pão Para o Mundo, Oxfam, Petrobras e Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal.

(*) Imagens: Rodrigo Carvalho Gonçalves

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.