rsz palestra soclaPotenciación de la pequena agricultura para la soberania alimentaria y la resiliência frente al cambio climático y la crisis económica foi o tema do IV Congresso Latinoamericano de Agroecologia, promovido pela Socla (Sociedade Científica Latinoamericana de Agroecologia). O evento ocorreu entre os dias 10 e 12 de setembro, em Lima, no Peru. A Universidade Nacional Agrária La Molina recebeu aproximadamente 700 pessoas de 30 países, dentre elas cientistas, professores, estudantes, representantes de movimentos sociais e agricultores/as.

 

O ex-presidente da Associação Brasileira de Agroecologia (ABA-Agroecologia), José Antônio Costabeber, falecido no último mês de julho, foi homenageado na abertura do evento pela sua trajetória no campo agroecológico.

O atual presidente da ABA, Paulo Petersen, estava entre os cem brasileiros que integraram o Congresso. Representando a ABA, fez uma palestra abordando os principais desafios para a construção da Agroecologia no atual momento histórico em que o agronegócio tem sua hegemonia reforçada pelo apoio incondicional dos Estados latinoamericanos. Em sua palestra destacou que um dos principais desafios é de natureza político-metodológica.

“Pois a Agroecologia não poderá crescer em escala social e geográfica se não estiver ancorada nas experiências concretas protagonizadas pela agricultura camponesa, suas comunidades, suas organizações e em aliança com o mundo científico-acadêmico comprometido com transformações estruturais no mundo rural em nosso continente. Isso implica a necessidade de mudanças substanciais na forma como o Estado desenha seus instrumentos para o desenvolvimento rural e, principalmente, como estabelece parcerias com organizações da sociedade civil para que sejam desencadeadas dinâmicas de inovação valorizadoras dos potenciais endógenos dos territórios rurais”, afirmou.

Como representante da delegação brasileira presente no Congresso, Petersen proferiu outra palestra onde teve a oportunidade de apresentar o processo de construção do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Planapo), que deverá ser em breve anunciado pelo Governo brasileiro. Ele destacou ainda a expressiva presença de brasileiros e brasileiras no Congresso. “Uma porcentagem significativa dos trabalhos apresentados veio de terras e cérebros brasileiros”, constatou.

Manoel Baltasar Baptista da Costa, sócio da ABA, também esteve presente ao evento. Para ele “foi gratificante constatar como avança a ciência, a ação, e a produção agroecológica na América Latina, Esse avanço pode ser percebido em diferentes espaços públicos, nas ONGs e nos movimentos sociais. Foi importante também notar como o Brasil marca forte presença e tem contribuído em tal construção”.

O ex-presidente da Socla, o agroecólogo chileno Miguel Altieri, anunciou a nova diretoria da organização aprovada em Assembleia durante o Congresso. Altieri disse que foi uma honra servir à instituição nos últimos seis anos, destacando confiança na nova diretoria, e anunciou a aprovação da petição feita por alguns membros garantindo a modificação do estatuto para que os ex-presidentes sirvam a Socla como presidentes honoríficos.

O V Congresso da Socla, que ocorrerá em 2015, será realizado em La Plata (Argentina). Os Congressos ocorrem a cada dois anos desde 2007, quando houve a primeira edição na Colômbia.

Veja abaixo a composição dos integrantes da nova diretoria aprovada na Assembleia do Congresso:

Clara I. Nicholls, Presidenta (Colômbia)

Fernando Funes, Vice-Presidente (Cuba)

Marta Astier, Secretária (México)

Carlos Pino, Tesoureiro (Chile)

Vogais

Santiago Peredo (Chile)

Maria Yumbla (Equador)

Jaime Morales (México)

Richar Intriago (Equador)

Jucinei Comin (Brasil)

Francisco Salmerón (Nicarágua)

Laura de Lucca (Argentina)

Mónica Machado (Colômbia)

Veja abaixo a Declaração Política do Congresso.

(*) Matéria publicada na Associação Brasileira de Agroecologia (ABA).

Dexe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.